sábado, 7 de novembro de 2015

FUTEBOL: Um jogo de Constructos (Parte I: Princípios Táticos)

          O futebol é uma modalidade esportiva em que toda ação que um atleta realiza, nas diferentes situações de jogo com as quais se defronta, tem uma finalidade tática (PEREZ MORALEZ; GRECO, 2007). Os princípios táticos configuram um conjunto de normas sobre o saber fazer no jogo e, portanto, proporcionam aos jogadores a possibilidade de conseguirem soluções táticas eficazes para os problemas decorrentes das situações que defrontam (GARGANTA & PINTO, 1994). Entre os conceitos apresentados na literatura especializada, percebe-se certa congruência das idéias em volta de três constructos teóricos que são identificados como: princípios gerais, operacionais e fundamentais (COSTA, I.T. et al., 2009). 

Os Princípios Gerais são  (GARGANTA & PINTO, 1994). : 
a) recusar sempre a inferioridade numérica; 
b) evitar a igualdade numérica; 
c) criar a superioridade numérica

Os Princípios Operacionais são (BAYER, 1994):
os de ataque:                                                          e os de defesa: 
a) manutenção da posse da bola.                      a)recuperação da posse da bola.
b)progressão ao ataque ou ao alvo.                  b) impedir progressão do adversário.
c) finalização da jogada;                                     c)proteção do alvo . 

Os Princípios Fundamentais são divididos em quatro para cada fase do jogo sendo (CASTELO, 1996; GARGANTA & PINTO, 1994):
na defesa:                                                                no ataque: 
a) contenção.                                                          a) penetração.
b)cobertura defensiva.                                         b) mobilidade.
c)equilíbrio.                                                            c) cobertura ofensiva.
d) concentração.                                                    d) espaço

Acrescentando “unidade defensiva”, na defesa e “unidade ofensiva”, no ataque (COSTA, I.T. et al., 2009).

         Entre a gama de informações advindas da literatura e vivência prática, há uma tendência de avançarmos a compreensão do jogo para conceitos "sofisticados" abandonando a formação básica, elementar e primária. Em outras palavras, um jogar superior faz-se possível tanto mais entendimento do próprio jogo os atletas tiverem. Esta compreensão passa por assimilar sua lógica com suas referências norteadoras das ações (físico, técnica, tático e psicológico), como os princípios táticos. Em termos práticos, um jogador que não tem compreensão geral de superioridade e inferioridade numérica, ou até mesmo o conhecimento da ação de cobertura defensiva, por exemplo, não pode defender bem. Isto independe de esquemas táticos, referências de modelo de jogo, e qualquer outro conceito "moderno" empregado. 

          Se quem joga é quem decide, que este entenda ao máximo a natureza dos constrangimentos que irá enfrentar. Não se joga 11x11 "ao estilo Bayer", antes de jogar com excelência o   3x3 "ao estilo básico". 


Parte II: Princípios Gerais e aplicação.
Parte III: Princípios Operacionais.
Parte IV: Princípios Fundamentais (ou específicos).

Referências Bibliográficas:

COSTA, I. T.; GARGANTA, J. M.; GRECO, P. J.; MESQUITA, I. Princípios táticos do jogo de futebol: Conceitos e aplicação. Revista Motriz, v. 15, 2009.

PEREZ MORALEZ, J. C.; GRECO, P. J. A influência de diferentes metodologias de ensinoaprendizagem- treinamento no basquetebol sobre o nível de conhecimento tático processual. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 21, n. 4, p. 291-299, 2007.

CASTELO, J. Futebol a organização do jogo. Lisboa: FMH Edições, 1996.

GARGANTA, J.; PINTO, J. O ensino do futebol. In: GRAÇA, A.; OLIVEIRA, J. (Eds.). O ensino dos jogos desportivos. Porto: Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física/Universidade do Porto, 1994. v.1, p.95-136.

BAYER, C. O ensino dos deportos colectivos. Lisboa, Dinalivro, 1994.